Alan GuimarãesNotíciasPolitica

ROMEU QUEIROZ NA DISPUTA DAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES MAJORITÁRIAS

Retorna a sua base. O bom filho a casa torna é um ditado popular que significa “voltar a fazer algo a que já era acostumado”. Uma conotação voltada para a religião, O Bom Filho a Casa Torna remete a parábola conhecida como O Filho Pródigo, encontrada no livro de Lucas 15: 11-32.

Romeu Queiroz, líder patrocinense, nos seus 72 anos, lucido, empresário, ex deputado estadual e federal e ultimamente presente na cidade e nos eventos. No pleito recém passado, apoiou o filho Marcelo Queiroz, retornou ao contato com aliados e amigos da sua terra natal.

Aqui tem suas raízes, onde vem sendo o seu refúgio na chácara próximo à Enxó Club, saída para Chapadão de Ferro. E tendo o gosto pela política, e neste envolvimento, aqueceu a possibilidade de servir mais de perto. Com isso vem crescendo a ideia e incentivo de Romeu Queiroz, influente politicamente, disputar ativamente a campanha majoritária em Patrocínio. Seja encabeçando chapa ou apoiando grupo político.

Na cerimônia de destaque 2022, nesta última sexta -feria (02/12) no Rotary Brumado, promovida pelo Informe Patrocínio (leia Humberto correia). Romeu esteve presente acompanhado pelos irmãos e amigos, recebendo o reconhecimento como empresário pela empresa Navelli – concessionaria Fiat.
Na oportunidade fez o uso da palavra, referiu as questões políticas e quanto ao atual período político do Brasil e reconheceu a importância do setor produtivo, do esforço dos empreendedores em investir na cidade e da importância em promover receita e renda e empregos na cidade.

Não declarou explicitamente, mas, deixou claro ser uma pessoa pública, influente, carismática, experiente, conhecedor dos trâmites públicos e assim sendo pode configurar como possível candidato ao palácio dos leões. Essas foram algumas considerações dos presentes que mencionaram o Now Hall e capacidade de Romeu. O que não lhe falta são correligionários, amigos, oposição, que podem somar força e criar uma via para disputa da cadeira.

E logicamente, fechar a carreira pública na sua terra natal comandado o executivo, uma contribuição pessoal de honra e satisfação para qualquer agente político. Não é diferente para o ex presidente da Assembleia Legislativa de Minas.

Notamos que a costura já iniciou, e a bola de capotão, já vai tendo seus gomos, sendo unidos, visando um fim redondo. Se tudo caminhar como figura, na próxima majoritária em Patrocínio poderá ter mais essa opção, e apenas duas, pois sabem se dividir, permanece quem está no comando, pois isso tem sido o clichê dos pleitos passados.

Nos bastidores poderá configurar a união de apenas uma ala política, em busca do retorno ao comando da cidade. Assim sendo, Betinho, Dr Lucas, Romeu Queiroz, Bebê, Elias, Oliveira, Remis,Brasileiro, Malagoli, Fonseca Amaral e demais lideranças publicas poderiam somar forças pleiteando este intento.

Os gomos já são elencados, vem aproximando, pois boa parte do clã político está fora do metiê administrativo e são a metade e muitos que estão na ativa são oprimidos. E como política é como nuvem, cada dia é de um jeito, boa parte devem somar a bola que se forma quietamente.

Não vai faltar é boa parte da imprensa que se mantêm imóvel e desprestigiada, políticos esquecidos e desprezados, insatisfeitos, feridos pela truculência e opressão. Logicamente soma ao desgaste natural de qualquer gestão e as desconsiderações e falta de reconhecimento de companheiros. Se por um lado o dinheiro e interesse dão as cartas, do outro lado esses quesitos também são presentes.

E quanto aos sucessores que se apresentam, o que não vai faltar são indícios de corrupção e sem ainda bagagem administrativa para assumir a posição de liderança. Falta traquejo, carisma, e aliada aos desmandos que poderão vir a tona.

Sem contar as inúmeras denúncias de impropriedade administrativa, impropriedades moral familiar, condições inaceitáveis e indignas apontadas no murmurinho das famílias conservadoras. E de inúmeras injustiças, num país que almeja, o mínimo, de um pouca de coerência e justiça social. Isso também vai pesar na balança.

Podemos afirmar que na busca do Poder muitas coisas saíram da cartola, e digo, o que não vai faltar são coelhos feios, pois deliberadamente, protegido pelo legislativo que nunca promoveu fiscalização, transparência e a publicidade dos atos públicos, pois nunca deram a oportunidade, nunca aprovaram nenhum requerimento de informações. Isso coloca em dúvida os atos públicos. E certamente, ficarao em breve, em pequenos lençóis, querendo cobrir a cabeça, descobrindo os pés, e as macelas ficarao expostos e o mal feito em cena.

Mas pensando bem, pode ser, apenas confabulações ou devaneio de minha parte e nada disso interfira, ou seja real. E se tratando de brasileiros que gostam é do vexame como foi o palco dos debates atuais, e tudo isso não afete em nada. Pois no momento, o que vemos na política brasileira, é um apontando o dedo pro outro e todos de assento sujo.

Vamos esperar para ver. O que não vai falta são denúncias, e muitas delas vindo do íntimo e da origem.

DEVANEIOS DE ; AGM two.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo