GeralNotícias

Maria Clara: “Estamos na Assembleia
para representar nosso povo”

No podcast do maisumonline, papo zen – leia José Elói Neto. No programa de nº 100, recebeu a patrocinense Maria Clara, deputada estadual eleita (DC- Democrata Cristã) para o quadriênio 2023/26(42.415 votos) e abordou do seu jeito carismático como vai comportar-se na Assembleia e abordou outros temas:


FORMAÇÃO – Sou da gema. Nascida, criada, formada em Patrocínio. Estudei no colégio das Irmãs, depois fui pro Atenas. Na faculdade, escolhi ser médica, médica de empresas, fui ser contadora, tranquei o Direito no 10º período, mas vou retornar. Passei na federal e fiz Direito cedo, Contábeis à tarde e fui conciliando. Meus vínculos em Patrocínio, católica, encontro Jovens, EAC. Sou extrovertida, mas não expansiva. Quem me olha acha que sou tímida.

“Sempre fui apaixonada por política, pelo exemplo que tenho em casa.”

POLÍTICA – Ferramenta de transformação, com coesão até mesmo como cobrança. Pois acredito na força da política praticada para o bem comum. Sempre fui apaixonada por política, pelo exemplo que tenho em casa. Tanto é que na escola, meu trabalho de apresentação, enquanto muitos falavam em Meio Ambiente, fome, apresentei os fatos do Mensalão.


SOU DEPUTADA FRUTO DE UM GRUPO POLÍTICO – No grupo foi sondado o meu nome, fiquei primeiramente honrada. Acima de tudo defendo a política, não os políticos. E tenho exemplo em minha casa, e ele, meu pai Deiró Marra é meu professor. Ele não me apoiaria se não houvesse e se eu não estivesse pronta. Enquanto prefeito, ele sentiu falta de um representante na Assembleia Estadual, a falta de um canal, de diálogo com o Estado. Para nós foi uma configuração favorável. Ter alguém próximo ao Executivo de Patrocínio que fosse fazer essa ponte. E Patrocínio estava estagnada há décadas por falta de um representante junto ao Governo do Estado. Se não há investimento, não há desenvolvimento e muitas coisas. E isso é reflexo de política pública. Poderíamos ficar sem um estadual, íamos para 10 anos sem um estadual. Íamos ficar na decadência.
Na minha visão, Patrocínio está ótima hoje, cresceu, desenvolveu, mas poderia estar bem melhor, em outro patamar, se nos últimos 6 anos tivéssemos essa interlocução com o Governo Estadual.


AGORA DEPUTADA? – Porém, nesse cenário político encontrei-me, por ter esse exemplo dentro de casa. Além de ser uma conexão executiva municipal com o executivo estadual, gosto muito mais da ideia de deputado estadual ser a conexão com a população.


COBRANÇA – Nos meus 23 anos, e ninguém melhor que eu, pois a cobrança está dentro de casa. Rsss. Eu conheço o método dele (Deiró), pessoa rígida, muito sério e exigente. Meu mantra: A ação abre caminho.


CAMPANHA – Aproximação pai e filha. O empenho dele (pai Deiró), ele fez por mim nessa campanha, coisas que ele não fez em campanha nenhuma para ele, vejo ser amor de pai, ele não precisa disso. Ele não precisa de política. Ele faz por amor, porque acredita. Rodamos o Estado inteiro, motivados, vamos, nós precisamos. Uma campanha exausta. Distante, Norte de Minas e sem ar condicionado e reunião uma atrás da outra. 6 cidades em 3 dias. Saía de casa às 5 horas da manhã e ia dormir 1 h da manhã e saía no outro dia.
Trabalhamos em 49 cidades. Uma campanha muito bem organizada, cronometrada. Uma campanha para dar resultado. Visitamos cidades que tínhamos apoio, onde o deputado Deiró teve sua participação e nossa votação foi pulverizada. Tivemos votos no Estado todo, em mais de 200 cidades. Nossa campanha, foi palestra, roda de conversas e painéis.

“Nos meus 23 anos, e ninguém melhor que eu, pois a cobrança tá dentro de casa Rsss.”

DEFEITO – Sou diferente dos meus dois irmãos (Mateus e Daniel), são obedientes, sou opositiva, combativa, deve ser o curso de Direito. Tudo que é falado e discorde, não confronto a autoridade, mas a ideia. O posicionamento, e isso sou muito firme. Maria Clara não vai fazer tudo que o Deiró quer, nós conversamos em muitas coisas, mas temos opiniões dissonantes e conseguimos construir uma solução consensual.


LABIBE – Minha mãe é uma grande incentivadora de tudo que nós vamos fazer. E a questão política e vida pública ela sempre foi receosa. Ela é uma pessoa reservada, é a natureza dela. Uma pessoa que me encorajou demais. Incentivou muito, apesar de não envolver tanto. Mas sempre com acolhimento de palavras de sabedoria.

“Em Patrocínio tivemos 27157 votos, não agradeço só pelos votos, mas agradeço pela recepção.”


GRATIDÃO – Em Patrocínio tivemos 27.157 votos, não agradeço só pelos votos, mas agradeço pela recepção. É reflexo da aprovação popular da Administração e agradeço aos vereadores de base, aos secretários que abraçaram a campanha, todos os amigos que são grandes incentivadores.


DESVANTAGEM – Sou a única deputada eleita pelo DC e isso nos coloca em desvantagem dentro das comissões na Assembleia, pois quero ter participação ativa nas comissões e cogito a de Infraestrutura e Obras Públicas, Transporte e Educação, Tecnologia e Informática que são muito importantes a nível municipal. E para que isso aconteça preciso ter um protagonista dentro da Assembleia e para isso preciso atuar com os deputados com ideologia, para formar um bloco, uma bancada de modo articular para trazer investimento para nossa região. Estamos mexendo os pauzinhos para isso.


PRECONCEITO – Enfrentamos um preconceito por ser muito jovem. São 77 deputados e 7 deputados jovens. Mas estarei Full-Time, dedicada a política. Gosto mais de trabalhar que estudar. Gosto do dinamismo do trabalho, da produtividade e realizar demandas. E hoje, com esta responsabilidade toda, me sinto mais confortável, pois carro apertado é que canta. Me sinto impulsionada. Mas a atividade física não dispenso, a ioga que me traz uma paz interior e me acalma, pois sou ansiosa.


DIREITA OU ESQUERDA – Vim do DC – Democracia Cristã, partido de direita, e no 2º turno apoiei o presidente Bolsonaro. Antes de ser direita ou esquerda, precisamos que o Estado intervenha na condição social, diminuindo a desigualdade. Temos que propor intervenção no campo da política para gerar uma solução e que a sociedade esteja a fim de participar. Por isso precisamos das pessoas cobrando, exemplo, a pauta de defesa animal. Agora se isso é esquerda ou direita, o que interessa? A maioria das pessoas não sabem nem o que é direita e esquerda, muitas pautas da direita são comuns a esquerda e vice-versa.

“A partir do momento que a pessoa lhe critica, a partir daí, a gente se orienta. Se readéqua para atender melhor.”


ZEMA – Apoiei, pois acredito no trabalho dele, mas isso não significa que ele apresente um projeto contrário o que eu considero, que eu seja conivente e o povo fique no prejuízo. O meu posicionamento é defender as pessoas. O Zema organizou e equilibrou financeiramente o Estado, nesses quatro anos árduos e agora é gestão de obras e agora temos perspectivas de investimentos nos municípios.

“Estou lá para levar a demanda do meu povo, da minha cidade, da minha região. Teremos, sim, ponto de escuta.”


COMPROMISSO – Fiz a campanha baseada nas perspectivas das cidades onde tive votos. E meu compromisso é atender o anseio da maioria. Temos que saber escutar e não tolir os diálogos. E agora, eleita, temos muitos projetos, sair da ideologia e ir para a prática, estou aqui para mostrar serviço e não para discursar.


POSSE – Dia 1 de fevereiro 2023, mas já tive no DER – Departamento de Estrada Rodagem levando as nossas demandas das nossas estradas, pois estão no processo de sucateamento. Veja, a Rodovia para Coromandel e a MG 230, levamos essas demandas também. As rodovias são ferramentas de trabalho para o escoamento de produção e já participei de entrevista TV Assembléia.


PROJETOS – Transformar o Pronto Socorro em Hospital Regional. Sou defensora das faculdades federais, se não tivermos uma educação acessível não tem como falar em geração de renda e emprego. Sem qualificação profissional não tem jovem empregado. Não basta ter só os recursos naturais, infraestrutura, é preciso ter mão-de-obra qualificada para ter o atrativo de capital para cidade. E para ter investimento, os empresários têm que atinar a vir para Patrocínio, e para isso é preciso investir nas pessoas. Isso vamos buscar.


ESCRITÓRIO REGIONAL – É o primeiro projeto nosso. Com sede em Patrocínio para atender toda região. A população deve ser ouvida. E o trabalho do deputado é representar. Você não representa, se você não ouvir, vai falar o quê? Estou lá para levar a demanda do meu povo, da minha cidade, da minha região. Teremos, sim, ponto de escuta.

MEDO – O medo do meu pai era de eu entrar na política e não saber lhe dar com a oposição, com ideias divergentes. E muito pelo contrário, enxergo isso como construtivo, isso é uma bússola para nós. A partir do momento que a pessoa lhe critica, a partir daí, a gente se orienta. Se readéqua para atender melhor. A unanimidade é burra.


COOPERCAC – E no final da entrevista, mencionando as várias participações, o JP questionou se a deputada ira apoiar a Coopercac – Cooperativa de Catadores de Lixo de Patrocínio, que faz a reciclagem de parte do lixo da coleta seletiva na cidade e continua sendo invisível aos olhos do Ministério Público e até mesmo do Executivo municipal que pouco ou quase nada faz em fomentar a reciclagem e seu trabalho. A deputada Maria Clara Marra afirmou que a cooperativa terá seu apoio. Vamos programar sua visita para conhecer mais essa demanda.

Entrevista: José Elói
Transcrição: Alan Guimarães

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo