EdiçõesSaúde

Campanha de vacinação vai até dia 31 agosto e Minas alerta contra sarampo

Participe do Grupo no Telegram

Com 63 casos suspeitos da doença em Minas e explosão de contágio em estados da Região Norte, campanha de vacinação busca imunizar 11,2 milhões de crianças

Gabriel Ronan João Henrique do Vale

Postos da rede pública se preparam para imunizar especialmente crianças de até 5 anos. Cobertura desse público, que é o mais vulnerável, não chega a 70%

Com o crescimento de casos na Região Norte do país e a confirmação de diagnósticos no Rio de Janeiro e em São Paulo, Minas Gerais entra em alerta máximo para a prevenção contra o sarampo. O estado não registrava até ontem casos confirmados, embora 155 suspeitas da doença já tenham sido notificadas.

A doença representa, ao lado da paralisia infantil (poliomielite), a maior preocupação na Campanha Nacional de Vacinação neste ano. A atenção se concentra ainda mais nos 1.027.305 menores de 5 anos, público-alvo da mobilização. A meta é vacinar 95% desse contingente, o que equivale a 975.940 crianças. 

A campanha deste ano começa na segunda-feira e vai até o dia 31, com o Dia D de mobilização programado para o dia 18 deste mês. Por isso, o ideal é que cada criança nesta faixa etária receba duas doses do imunizante: uma tríplice viral (contra caxumba, sarampo e rubéola), entre 6 meses de idade e o primeiro ano de vida, e outra tetraviral (que protege contra as mesmas enfermidades, além da catapora) entre a primeira dosagem e os 15 meses de vida. 

A Coordenadora de Imunização da Secretaria Municipal de Patrocínio,  Flávia Cristina Bertolace, confirmou que o dia D acontece no sábado dia 18 de agosto, quando todas as UBS’s e Postos de Saúde funcionarão 08 às 17 horas e na zona rural a cobertura vacinação ocorrerá entre 21 a 23 de agosto”,

Para quem tem entre 2 e 29 anos e nunca se vacinou contra  sarampo,  indica a aplicação de duas doses, com intervalo de 30 dias. Pessoas entre 30 e 49 anos precisam de uma dose para ficar imunes. Os maiores de 49 anos são considerados imunes ao sarampo, uma vez que já conviveram com a doença. 

O reaparecimento do sarampo é atribuído a vários fatores, entre eles está a negligência da população na hora de vacinar e falhas em processos das equipes técnicas. O chamado é para toda a população se conscientizar de que a vacinação é a principal estratégia de contenção de qualquer surto de sarampo. Os dados da Saúde estadual mostram que o maior número de notificações se concentra nas regiões Central, Centro-Oeste, Leste, Sul e Triângulo Mineiro(foto: Arte EM)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de Anúncios Detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios